terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Entrevista com Joana Ferraz

Iniciamos o novo ano de 2013 com uma entrevista a Joana Ferraz, treinadora do escalão de Infantis e atleta sénior do Boavista FC.

Ju, como está a correr a tua primeira experiência como treinadora fora do âmbito do minivoleibol?

Ora bem, até agora está a correr razoavelmente bem, falhámos o nosso primeiro objectivo mas já traçamos um outro e estamos a trabalhar para o atingir.


Estamos no final de 2012, como analisas a época das Infantis até ao momento? Quais os objectivos para 2013?
Até ao momento tivemos bons e maus momentos. Conseguimos fazer um bom grupo de atletas, unido. No entanto em muitas alturas a ansiedade e nervosismo levaram a melhor sobre as nossas atletas. O pior momento foi talvez a altura em que senti que elas estavam a desistir uma vez que estávamos a falhar o nosso primeiro objectivo, vi-as a cruzar os braços. Felizmente parece que entretanto já ‘acordaram’ e que estão prontas para continuar a trabalhar. Nesta fase em que estamos queremos ficar em primeiro, mostrar que esta equipa tem qualidade. 


A tua equipa já provou que tem muito potencial, até onde pode ir este grupo de trabalho?
Este grupo tem qualidade, existem miúdas nesta equipa com alguns anos de minivolei, o mais difícil foi mesmo mostrar-lhes que isto agora é a sério, que não são torneios de mês a mês e que todos os jogos contam. Quando elas juntarem a qualidade à vontade e garra acredito que, com muito trabalho, se vá conseguir levar longe esta equipa. É preciso é querer. 

Apesar de muito jovens, a grande maioria das tuas atletas já possui a mística Boavisteira. Consideras fundamental essa componente de ligação ao Clube?
Sim, acho muito importante. Muitas delas são boavisteiras mas ainda assim não entendem a 100% o que é realmente ser boavisteiro. Talvez por serem novinhas, mas mais tarde ou mais cedo vão perceber que aqui têm de trabalhar ao máximo, contra tudo e todos. 



Quais as grandes diferenças que denotas do teu tempo de atleta infantil para agora?
Eu acho que as diferenças são essencialmente o tempo que têm para dedicar à modalidade. A maior parte das atletas têm para além da escola e do volei mais uma ou duas actividades. Isso obriga-as a estar muito dispersas, e por vezes não conseguem estar bem em tudo. Penso que com o tempo vão conseguir estabelecer prioridades e acabar por escolher uma delas. Enquanto isso não acontece o esforço da parte delas terá de ser maior. 
Há uns anos atrás passávamos muito tempo nos pavilhões a ver jogos, de feminino ou masculino, do nosso ou de outro escalão e parecendo que não isso ajuda. Acabamos sempre por aprender alguma coisa

  
Para além de treinadora das Infantis és também atleta da equipa sénior, como analisas a época 2012/2013 até agora?
Até agora a época está a correr como planeado, sem derrotas. Queremos continuar a dar alegrias a quem se dirige todos os fins-de-semana a pavilhão para nos apoiar. Entretanto vai surgir a taça que também é muito importante para nós.  


Depois do vice-campeonato da época passada, ser campeã este ano seria a concretização de um sonho adiado?
Sim, claro. Todas as atletas que já estão nesta equipa há pelo menos 2 anos têm visto o seu sonho ficar adiado. No ano passado estivemos mais pertíssimo … mas não aconteceu. Estamos todas a trabalhar para que este ano o sonho seja concretizado.  



Uma palavra final a todos os adeptos Boavisteiros nesta quadra festiva.
Desejo a todos os boavisteiros um óptimo 2013, carregado de vitórias e de realizações pessoais e desportivas.

0 comentários: